quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Black Metallic by Catherine Wheel

Esta semana tem sido basicamente tensa e tortuosa, mal deu tempo de estar por aqui e escrever, mas a ausência as vezes é compensada por algo intocavel e que as vezes sem explicação acontece, desde segunda feira tenho viajado pelo interior de sampa e meu acompanhante foi um album basicamente acima de qualquer suspeita, um INTOCAVEL na realidade, algo magistral e que tornou-se atemporal e fundamental para o exercicio de noise, texturas, guitarras, poesia, melancolia e shoegazer no talo em alto e bom som, o fato é que meu acompanhamente foi o Ferment do Catherine Wheel, precisa falar mais alguma coisa??

Precisa, logico, a 120, 140 km por hora em estradas ela faz pleno sentido, já nos primeiros acordes de Texture já da para entender o porque o album é superior, Rob Dickinson, vocais e guitarra, Brian Futter, guitarras, Dave Hawes, baixo, e Neil Sims, bateria fazem o shoegazer chegar no limite do noise e pop ao mesmo tempo, carregados de poesia e melancolia graças ao Sr Dickinson, sobrenome que soa familiar não, pois é o cara é primo do famigerado Bruce Dickinson de um tal de Iron Maiden, inclusive quando fiquei sabendo disso, fiquei até meio receoso, mas já nos primeiros eps, que alias são essenciais, já me apaixonei mortalmente principalmente pelos guitarras ruidosas de Brian Futter que na minha opinião é um dos melhores guitarristas de sua geração.

O Ferment é um desfile de musicas que fogem a qualquer rotulo de classicas, essenciais e o que mais possam falar, é algo intocavel, para se ter uma ideia, quando do lançamento de Black Metallic, os criticos diziam que ela era nada mais nada menos que o a Stairway to Heaven da geração shoegazer, só que ao contrario da criação de Page & Plant, Black Metallic é devastadoramente ruidosa e candida a perfeição em forma de musica, o mesmo acontece com as fantasicas I Want to Touch e She´s my Friend que devem facilmente entrar nas melhores musicas da decada de 90, mas Ferment ainda contém perolas esculpidas de forma colossalmente noise e sonhadora como as popissimas Shallow e Flowers to Hide, sem contar nas viagens transcendentais ao fundo do amor que são Indigo is Blue e Ferment.

O som das guitarras e a voz de Dickinson conduzem o tenue fio da muralha ensurdecedora do noise até o mais cristalino dedilhado, Ferment é eterno, e para isso eu digo, Ferment é INTOCAVEL.
******

I've never seen you when you're smiling
It really gets under my skin
You say it's easy when it's faster
I still can't guess what you're after

It's the colour of your skin
Your skin is black metallic
It's the colour of your skin
Your skin is black metallic
Your skin is black metallic
Your skin is black metallic

I think of you when you're sleeping
Of all the secrets that you're keeping
You can't stay all day under the covers
'Cause under there you'll discover

It's the colour of your skin
Your skin is black metallic
It's the colour of your skin
Your skin is black metallic
Your skin is black metallic
You're turning black metallic

It's the colour of your skin
It's the colour of your skin
Your skin is black metallic
Your skin is black metallic
Your skin is black metallic

You're turning black metallic

It's the colour of your skin
Your skin is black metallic
Your skin is black metallic
Your skin is black metallic
Your skin is black metallic
Your skin is black metallic
Your skin is black metallic
- Black Metallic

******
Catherine Wheel - Ferment - http://www.mediafire.com/?mohm3mmnqoy

Um comentário:

Miguel disse...

Clássico!!!!