domingo, 16 de agosto de 2009

From Centre to Wave by Loop


Me lembro como se fosse agora a primeira vez que ouvi Loop a música era Head On, um amigo de longa data que já não esta mais entre nós me apresentou a banda através de seu vinil e colocou a segunda musica do The World in Your Eyes e falou mais ou menos o seguinte - "Renatão, prepare-se, já que você é fã de Suicide e J&MC então se segura...." ou algo mais ou menos como isso ai, dai meu chapa, aquele riff sequencial, pegajoso, cheio de fuzz e wah wah foi golpe baixissimo, e isso foi na virada de 89 para 90, tipo a banda estava basicamente acabando tanto que o A Gilded Eternity é de 90 dai depois só o Wolf Flow e fim. Mas o estrago na minha cabeça estava começando, basicamente peguei aquele vinil e gravei um cassete que eu carregava comigo no walkman para cima e para baixo, depois consegui o Heaven´s End o Fade Out e tudo mais, mas o fato é que o Loop já havia entrado definitivamente entre as bandas mais revolucionarias em termos de gosto e postura musical para mim, e o responsavel por isso chama-se Robert Hampson, dono e louco de plantão.

O Loop é daquelas bandas que ou você ama ou odeia mesmo, porque é altamente intimidador ouvi-los, a repetição (ou loop se você assim preferir) das guitarras encharcadas de fuzz, wah wah, distorções absurdas e tudo mais, sem contar na bateria que muitas vez é aquela marcação quadrada e tribalista que chega a hipnotizar e derreter a mente ao ponto de ou você se rende a maestria excentrica da banda ou simplemente nunca mais chega perto, o fato é que o Loop pegou todo o kraut rock de NEU! a CAN, juntou o estilhaço dos Stooges e do MC5 mesclou o No-Wave americano e botou o Suicide como banda Mor para eles e fez de sua breve duração a trilha sonora do caminho do mais distante universo parelelo até o mais proximo pesadelo interno de sua mente.

Uma discografia irretocavel onde os pontos altos são o Heaven´s End e o The World in Your Eyes, este que reune os singles 16 Dreams e Spinning mais quatro extras e o resultado é um massacre sonoro que dentre outras destruições sonoras temos a releitura classica de Rocket USA do Suicide que foi responsavel diretamente junto com os Spacemen 3 pelo culto crescente a dupla minimalista de NY, outros clássicos irretocaveis além da já citada Head On é Spinning que evoca Rob Tyner e seu MC5.

Resumidamente, uma banda a frente de seu tempo e que definiu modo e atitude de como seria a decada de 90, para bandas como esta qualquer adjetivo torna-se dispensavel.

Loop - The World in your Eyes - http://www.mediafire.com/?jyuyozm4unu

Um comentário:

Miguel disse...

ai meus tempos!