domingo, 2 de maio de 2010

Freak Scene with Broken Water


2010 é o ano, alguém duvida??Já foram lançados uma penca de albuns sensacionais e outros mais estão prestes a sair, mas quando algo novo, inusitado e absolutamente fantastico aparece sem dar folego, é algo realmente que me arrebenta. Diretamente de Washington vem o petardo chamado Broken Water e seu debut Whet, que de introdução eu digo o seguinte, se você gosta de guitarras, reverbs muitsos reverbs, psicodelismo alto, estridente, algo como se o Bardo Pond tropeçasse de cabeça dentro do Dinosaur Jr. ou se o Loop em plena insanidade sonora se juntasse a Thurston Moore e Lee Renaldo e fizessem um jam session junto do pessoal do Band of Susans, acha pouco? Então pegue o arquivo, acenda seu cigarro, pegue sua bebida predileta e aumente o som, porque Whet é um album de guitarras meu chapa, guitarras estilhaçadas para tudo que é lado, baixo e bateria dão o tom para a pancadaria psicodelica do Broken Water, já na abertura com Say What´s On Your Mind já da para sacar a veia psicodelica particularmente um mix de Telescopes e Bardo Pond com J. Mascis nos vocais, Hear é assombrosamente caotica com sua lenta abertura instrumental e o crescendo pesado e barulhento até os vocais berrados que mais parecem Patti Smith ensandecida a frente, simplesmente fenomenal, Spore lembra Daydrem Nation e To Kill a Slowgirl Walking ao mesmo tempo mas completamente diferente também, Memory é puro Dinosaur Jr fazendo psicodelismo, ou algo parecido com isso, sim sim sim estou entorpecido com esse album. Serissimo, mas serissimo mesmo candidato a album do ano, pelo menos em minha lista pessoal.

Olha, se você realmente gosta de noise, reverb, psicodelismo e guitarras, faça um favor a si mesmo, escute isso!!!

Broken Water - Whet

3 comentários:

al schenkel disse...

Encaminhando...hehehe

al schenkel disse...

Renato, demência genial. A banda é demais e a resenha define clinicamente a essência. Mais uma pro topo sem dúvida alguma...

renato malizia disse...

eu pirei nessa banda, nao paro de ouvir nem a pau