segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

The Blog That Celebrates Itself

Então, mudei de casa, estava eu lendo uns lances pela net e dei de cara com um blog meio nada ver mas o titulo me bateu de cara, THE BLOG THAT CELEBRATES ITSELF, era exatamente isso que eu queria para algo meu...então usurpei o nome do cara, e criei um blog para mim que tem bem a minha cara e o que eu quero passar...
Mas não poderia deixar de repostar meus ultimos posts do já finado Life is Killing my rock´n´roll...
See you later aligator...

23/11/2008 17:58 - publicado por Sonic Boom [ Alterar ] [ Excluir ]
The Way of The Vaselines

Bom, preciso expor aqui a alegria imensa que estou, motivo - Eugene Kelly e Frances Mckee, as mentes do Vaselines...ontém realmente foi mais do que especial, eu frente a frente literalmente com eles, o Easy, casa de shows legal da Barra Funda, estava bem vazia, para a importância das bandas que lá estavam.
Chegando nada Easy peguei o final do Black Lips, achei ok, não me empolgou tanto, apesar do clima garagem, mas foi ok, talvez eu não estivesse lá tanto interessado nos caras....mas tá valendo, dai guitarra quadradona, ritmada e pesada para caralho, sim, havia começado o Helmet, vou falar o seguinte, o Helmet é bom hein, não sou fâ nem nada, mas o Page Hamilton merece todo respeito, o cara comanda um pós-noisecore fodidão, referências de sabbath, sonic youth, fugazi, husker du, ac/dc, tem muita coisa ali...e só coisa da pesada...e o Page Hamilton é um figuraça, o cara ficou trocando idéia com a galera do começo ao fim, ele literalmente curtiu estar ali, e eu também. (depois coloco umas fotos).
Fim de jogo para o Helmet, a rapaziada do hardcore foi saindo e eu e Mi fomos chegando devargazinho, de fininho e estavamos de frente pro palco, e na nossa frente nada mais nada menos do Steve Jackson, de terninho e gravata a´la Belle & Sebastian afinando suas guitarras caprichosamente, de repente me entra a Frances dai eu comecei a ficar empolgadissimo, ia começar uma lenda, umas das primeiras bandas ditas indies da história, depois deles a escócia colocou no mundo uma caralhada de gente de Pastels a Mogwai, de BMX Bandicts a Belle & Sebastian, a cena da escócia é muita boa, aliás a cena da epóca em que o Vaselines começou era fodida, epóca que a Creation começa também, putz, enfim dá para eu contar várias coisas aqui, relembrar de um monte de bandas, e historias, mas depois quando eu estiver a fim eu escrevo, agora voltando a SP e deixando a cena escocesa de lado, eu ficava olhando a Frances e me excitava mais ainda com o que viria pela frente, dai de repente me entra um cara calvo com a camisa para dentro da calça cinto com a fivela pro lado, e eu perguntava para Mi, é o Eugene???????sera?????mas mas mas kd o cabelo.....porra me liguei novamente em menos de duas semanas, que tanto eu como eles envelhecemos....apesar de que algumas coisas ainda permanecem intactas....hehehehehehhehe....mas era o Eugene mesmo...dai eu comecei a delirar mais e mais....mas estava dificil de começar, a arrumação do som estava embaçada....fora o Stevie fazendo MIAUUUUU, MIAUUUUU e eu e a Mi, rachando e fazendo comentarios sobre a fofice do moço...hahahhahahahhahah
Depois de finalmente tudo ok, todos eles entram e o Eugene me solta, Hi we are The Vaselines, from Scotland,.....dai eu arrepiei até a espinha, e começa o show com Son of a Gun, e tudo fazia sentido, The Way of The Vaselines, e era isso mesmo que viria pela frente basicamente todas as músicas compostas naquela epoca de 85/86 eles tocaram, uma a uma, Molly´s Lips e a piadinha sobre sexo oral, cara o Eugene é sarcastico pacas, e a Frances olhando para ele quando ele começou a tocar Rory ride me raw e eles não tinham planejado daquele jeito, depois ela deu uma bronquinha del leve, e foi isso tudo perfeitamente simples....detalhe o Stevie é fodido pacas...o batera Michael McGaughrin toca muito....e logico Frances e Eugene, o entrosamento deles, alias eles juntos é perfeito....uma combinação exata, o momento do show para mim foi You think you´re a man, todo mundo dançando cantando em coro...cara foi delicioso e muito bom poder ter a honra de ter presenciado algo tão sublime, tão simplesmente bacana....
dying for it
She said to me, would you like to be,I got plenty of time, It's gonna take some time.Ahhhh I'm hanging out.I'm hanging out baby, I'm hanging out,Ahhhh I'm hanging out.I'm hanging out baby, I'm hanging out,Ahhhh I'm hanging out,Come on now, come along sing my song.She said to me, we're gonna lie on the floor,Cause we don't need to go and can choose some more.I'm dying for something, oh what will it be,I'm dying for you to do something to me.

detalhes - tirei muiiiiiiiiiiiiiiiiiitas fotos...



16/11/2008 20:47 - publicado por Sonic Boom [
Alterar ] [ Excluir ]
Life is killing my rock´n´roll

Então, o titulo do blog Life is killing my rock´n´roll tem um significado que por si só já explica muita coisa, mas além do significado claro da parada, o fato é que o titulo do blog também é o titulo do album do Singapore Sling, banda da Islandia muito boa por sinal, um misto de J&MC e Spacemen 3 dos mais interessantes que já vi, psicodelismo cruzão, guitarreira carregada de distortion no talo, e muita microfonia, os dois albuns que estou ouvindo o The Curse o Singapore Sling e o Life is killing....são igualmente fodidos...estilosos e bons do começo ao fim....vale muito a pena fora que é impossivel ouvir uma vez só...o negócio é viciante....vale muito a pena....


09/11/2008 17:01 - publicado por Sonic Boom [
Alterar ] [ Excluir ]
Never Understanding

Ressaca pós show é mais ou menos assim, estado de graça, cansaço da porra, sensação de quero mais e meio que missão cumprida de todos os envolvidos.
Ontém foi mais ou menos assim, muita expectativa, e eu totalmente tagalera (tadinha da Mi que ouviu uma caralhada de historias e mais historias sobre Jesus, Projeto SP, Psychocandy...e aquela conversa de fã pouco antes de realmente acontecer o mais esperado...o SHOW é claro), pois bem tudo começou meio devagar eu achei, já de cara na Vila dos Galpões um ambiente meio Zenatur final dos tempos, tudo meio que caindo aos pedaços, isso no local logicamente, segurança basiquissima e tranquilona, a galera em si meio que mesclaca com o publico do jesus, o publico do kaiser chiefs, a pivetada que foi ver o Offspring e os esquiindies, ou indieszitos...cada vez que saio vejo como a pose vale mais do que o conteudo....mas foda-se....eu estava lá por outros motivos...dai chegando logo de cara no palco principal estava rolando o Vanguart, banda bem ok, bem ok mesmo...que me desculpem mas não vejo absolutamente nada de mais nessa onda de indie folk...não me atrai mesmo, alias nunca me atraiu...dai eu a Mi fomos passear pela Vila, dai notamos a estrutura do Evento, bem bacana, sem filas nos banheiros, mesmos nos momentos mais dificies, tipo entre Jesus e Bloc Party foi tranquilaço...dai fomos no tal Indie Stage, e tava rolando o Curumim, chato, chato, chato...conseguimos aguentar menos de 2 musicas e saimos fora dali...pouco tempo depois iria rolar o Animal Collective, ouvi tanta coisa desses caras que fui lá ver, mas que azar os caras tiveram logo de cara não tinha retorno, os caras estavam maio perdidos no palco, dai problemas resolvidos o som em si, pouca criatividade ou quase nenhuma, nos sequenciadores interminaveis e um som muito muito chato...ou seja, menos de 3 musicas e saimos fora dali....seguindo do Main Stage quem estava lá...Mallu Magalhães...putz eu não sou tão preconceituoso assim, mas ela é chata, canta mal, tem uma voz irritante a banda dela me lembra aberralões tipo 4non blondes..enfim ruim, nem chato é, é ruim mesmo, e o pior ela pensa que é superstar e o publico pensa que ela é superstar ou seja ela é uma superstar do mundo indieota...alias tem-se a superstar que se merece, ponto final.
Bom dai em diante, a coisa foi mudando de figura, excitação era a palavra chave por onde eu estava, uma duzias de pessoas com a camiseta que estampava a capa do Barbed Wire Kisses, dai era questão de tempo, e pontualmente as 20:30 hrs tudo se apaga e frenesi, eram eles....Jesus estava de volta, logo de cara notei o Jim com os mesmos trejeitos de 18 anos atrás com algumas diferenças a que mais me bateu de cara foi o cabelo, ele esta quase sem, mas sem problemas eu também...envelhecemos essa é a verdade, e começa a segunda vinda de Jesus com Snakedriver, dai já dava para sentir que nada seria igual a 1990, por momentos senti que algo não havia mudado, e dai me liguei que era por causa do Sr William Reid, ele esta intacto, cabelo rigorosamente desregrado, postura distante, e fixa em sua mais querida amiga, a guitarra, e dali saiam todos os ruidos do show, que foi uma releitura de clássicos, logicamente que eu queria mais barulhos, mais psychocandy, mais arrogancia, mais o show foi ameno, barulhento claro, mas o barulho era enxuto, como em Honey´s Dead, mas mesmo assim, o desfile de grandes musicas foi se seguindo, blues from a gun estava, lá, some candy talking, happy when it rains, head on, sidewalking, tudo lá...e o psychocandy?????stay cool boy.....just like honey e a salvação e redenção de uma geração inteira vieram a tona...ali já era motivo para qualquer um saber que aquela noite era especial não memoravel como em 1990, somente especial...e para finalizar Reverence, não poderia ser mais apropriado - Reverencia Jesus.
Um detalhe inutil no meio do show do Jesus foi um trio de moleques imbecis com bandanas e camisetas do Offspring insultando aqueles que estavam ao meu redor e cada um a seu jeito foi ficando irritado com a blasfemia desses filhos da puta, eu meti um cotovela meio que sem querer em um deles, uma garota meteu a mão no peito do outro, e outro cara deu aquele safanão basico, dai a molecada ficou de boa, mas não contente me postei na frente deles para deleite das aureas epocas dos irmãoes Reid...
Uma pausa para alimentação mas antes uma passada rapida que me deixou feliz em saber que estava rolando uma banda bacanerrima no Indie Stage, o Foals, peguei o final do show e a banda estava toda molhada, pulando para la e para ca, guitarradas rolando para todo lado, um dos caras sobiu atras do palco ficando sob a bateria...bem legal, pena que peguei só o final, deve ter sido inteiramente interessante o show....mas para frente quem sabe não nos encontramos novamente!!!!
Já alimentados retorno ao Main Stage para conferir o Bloc Party, confesso que estava preocupado, pois a cagada que fizeram na apresentação da MTV meio que manchou a reputação dos caras, mas ao contrário Kele Okereke é a banda vieram com um show potente e muito bom, do inicio ao fim, só musicaça uma atras da outra, os caras estavam inspirados e mandaram muito bem, desde o inicio com Hunting for Witches passando por Banquet foi cantada em unissono até a apoteose com Helicopter...sei que tanto eu como a Mi adoramos o show......vi as Breeders pelo telão e achei ok, afinal não era a formação classica delas e sei que também não rolou Safari, bom sei que nunca fui muito fã de Breeders mas acho uma banda ok, Hellbound é cool...mas como eu disse ok....just ok.
Demos um tempo para ver o Kaiser Chiefs e de cara entendi porque os caras são aclamados ao vivo, o Ricky Wilson é performatico para cacete, já na primeira musica caiu na galera e dai o jogo estava ganho...logo na sequencia Everyday I Love Less and Less e todo mundo virou pogoballl...impossivel não resistir ao apelo indie teen dos caras...mas depois dai cai fora, porque o show eu sabia que seria identico do começo ao fim.
Considerações - melhor show - Bloc Party / melhor indie - Ricky Wilson / melhor recordação - J&MC...Reverence.

07/11/2008 23:21 - publicado por Sonic Boom [
Alterar ] [ Excluir ]
Blues from a gun

Então...é amanhã, putz ainda meio que não caiu a ficha, estou meio que aflito, ancioso, temeroso, enfim alguns sentimentos dos mais diversos estam rolando, porque é amanhã caralho, Jesus & Mary Chain, 18 anos depois vou poder novamente ver os irmãos Reid e eu, como todo mundo sabe, sou FANATICO por eles, escuto muita coisa, tenho vários prediletos, mais Jesus é Jesus, é revolucionário na minha vida, tive cassetes, vinis, e cds, cds, cds, mp3´s ou seja, vira e mexe estou com alguma coisa deles, por perto, a postura então nem se fala, o ruido, aquele hey hey hey...tá sempre pairando em algum lugar...e amanhã é dia de arrepiar a espinha quando der 20:30, e muito provavelmente começar os primeiros ruidos e rolar Never Understanding, alias bem propricio não?!?!?!?e dai em diante é só admirar Jim e o William cada um do seu jeito, o Jim cool até o extremo~, não sei como o cara esta como performance atualmente e também não estou interessando em ver porra nenhum antes, quero ver ao vivo em cores, e o William deve estar todo bonhacão, e rocker como sempre, alias foda-se, porque eu estou mais interessado em sentir, Darklands, Happy when it rains, just like honey, head on, teenage lust, reverence, caralho blues from a gun, e o que vier do psychocandy tá valendo, porque tudo ali vale ouro...e de trocado ainda rola um bloc party, kaiser chiefs, talvez de para ver algo das breeders e se der eu vejo o foals para ver qual é...se que eu estava lendo o blog do Lucio Ribeiro, na real eu admiro o cara e tal, mas meu chapa, vai se foder, sugerir coisas do naipe malu magalhães cantando just like honey, ou achar que a galera vai preferir ver o Foals do que o Jesus é meio que forçar a barra, primeiro antes de tudo essa minazinha chega a ser ridiculo estar no festival até mais do que o Off Spring por exemplo, e depois um lance meio que petulante de gente que quer mais aparecer do que qualquer coisa, mas o fato é que amanhã as 20:30 eu quero ter o prazer de ter meus timpanos gritando exatamente como 1990.
Ah, e hoje, não da para deixar de registrar a fase shoegazer notalo que estou vivendo, na sequencia - Serena Maneesh, Medicine, Skywave, mais Medicine e Pia Fraus e agora escrevendo esse post ao som de Singapore Sling (bandaça do caralho, que fui conhecer há uns 15 dias, antes tarde do que nunca, fala ai....Jesus e Spacemen 3 no talo nessa rapaziada da Islandia, que mostra que nem só de Bjork e Sigur Rós os gelidos vivem)....isso sem contar que antes dos islandeses pode conferir a perola que baixei do soul seek, A Place do Bury Strangers tocando Just out of Reach dos Jesus...quer ambiente mais propicio ao show de amanhã...só mesmo um whiskão a nevoa do cigarro...e logico drugs!!!
Valeu...

06/11/2008 00:05 - publicado por Sonic Boom [
Alterar ] [ Excluir ]
Got that Feeling

Pois é....mais Skywave, entre uma coisa ou outra do tipo de J&MC (logico pré show faz parte) e algumas audições do Synthstatic, já comecei a me aventurar com os demais, e já de cara fiquei cara com o Echodrone, puta discaço no naipe do Synthstatic, só que mais polido eu achei, as demências nas guitarras são mais controladas mas o album é fodido do começo ao fim, e lá pelo meio você da de cara com a hiper Jesus Got that Feeling, essa foi a que me pegou já de primeira, mas temos outras maravilhas como Sixteen, Nothing e basicamente o album é nivelar do começo ao fim ....não chegar a ser tão perfeito quanto o Synthstatic mas é bom pacas... bom agora tô no começando a ouvir os b-sides e o took the sun que na sequência são o seguinte b-side é b-side, ou seja viagens e os caras mandam bem para caralho....mas preciso ir mais a fundo e ouvir com atenção, já o took the sun já é mais demo, cara de gravação caseira, inicio de banda....um super souvenir...
Ah, de tanto ler sobre os caras, acabei descobrindo uma coisa que é um projeto dos caras chamado Ceremony....só digo o seguinte FODIDO.

03/11/2008 14:01 - publicado por Sonic Boom [
Alterar ] [ Excluir ]
The Scene that Celebrates Itself

Então...voltando ao assunto abaixo, estou viajando com a pancadaria a´la MBV do Skywave, que banda fenomenal hein...cacete, camadas e camadas de guitarras, creio que tirando o Medicine e os clássicos shoegazers eles são a mais perfeita simbiose do genero, noise no talo, sussuros, e guitarras, guitarras estridentes que te convidam literalmente para um air guitar olhando para ponta do dedão...ou seja, SHOEGAZER...o album Synthstatic é o foda da parada, se bem que ainda não consegui ouvir a fundo as outras coisas que peguei, porque é o seguinte para fanaticos do estilo como eu, é o tipo de coisa que você vai ouvindo e precisa literalmente de mais, mais, mais...como diria Andrew Eldricht I want mooooore...é bem por ai...já estou com outras coisas dos caras, Echodrone, B-Sides, Took the Sun...depois comento quando der um tempo....o fato é que o Synthstatic é uma mescla fodida de j&mc com mbv com slowdive....e dai aparecem umas coisas tipo Tsunami que poderia estar numa coletanea de lados b do Psychocandy, ou Kill me Dead que por sua vez caberia no meio do Ins´t Anything, ou a belissima Nothing Left to Say, que se você vacilar vai pensar que esta ouvindo o Just for a Day, mas assim tirando as referências e tal, o Skywave tem a cara de Skywave...desde de já uma das prediletas deste shoegazer trintão...

02/11/2008 23:04 - publicado por Sonic Boom [ Alterar ] [ Excluir ]
The New Beggining

Depois de um puta tempo fiquei novamente interessado em escrever e colocar meus devaneios em algum lugar...dai a saida mais prática e rápida é a net mesmo....acho que consegui desencanar do lance de net de uma vez por todas....depois de tudo, agora as coisas estão novamente fazendo sentido...e o mais interessante é o som que retornei a ouvir com toda força...SHOEGAZER...pois é....as velhas guitarras...THE SCENE THAT CELEBRATES ITSELF....pode crer....como isso tem a ver comigo....e tenho buscado pesquisar, ler e descobrir uma caralhada de bandas "perdidas" pelo menos para mim, que sempre fui meio que um "desbravador" dessas paradas...para se ter uma idéia eu até agora não consigo entender como nunca tinha escutado Medicine, Skywave, Starflyer 59.....caralho tudo muito foda....uma imensidão de grandes bandas...e estou mergulhado literalmente nessa onda novamente....o que mais me espantou em relação a coisas novas foi o A Place to Bury Strangers...um esporro, um estardalhaço sonoro, digno de suas orientações principais....ou seja J&MC, e por falar nisso, sabado que vem os irmãos Reid estarão frente a frente comigo novamente, já se passaram 18 anos, longos 18 anos, quando eu estava na frente do William, um som absurdamente caótico no Projeto SP naquele dia de 1990, do meu lado Kid Vinil, Luis Gustado (Pin Ups), e outros aficcionados todos embasbacados....vendo o que seria até hoje para mim um divisior de aguas...pois se eu ja idolatrava o Jesus, depois daquilo a cartilha adotada foi de barulho e arrogância em tudo, e creio que levo isso até hoje em tudo.
Sei logicamente que tudo mudou, eles estão mais amenos, mas espero que quando ouvir In a Hole e Taste of Cindy dia 08/11 o frescor daquela epoca me de um murro na cara, pois o mundo ainda precisa de um pouco de esbornia
....ou somente some candy talking....

Nenhum comentário: